20 de ago de 2009

todos nos tornamos assassinos

hoje eu matei a Lara. não foi de propósito, foi sem querer. é que eu cheguei bêbado em casa, devia ser umas quatro da manhã. quarta-feira de derrorta no futebol, tinha que afogar as mágoas. tinha que acordar cedo no outro dia mas não fiz isso. sonhei com a Lara. pensei que poderia não ser ela quem tinha matato, mas sim uma outra qualquer. acordei quase cedo, de ressaca nunca consigo dormir de mais. Mas não levantei da cama, não queria ver se o corpo estendido era dela ou de uma outra qualquer. duas horas me revirando, cochilando de vez enquando, mas era só fechar os olhos que ela vinha na minha cabeça, acordava como num pesadelo. Não dava mais, minhas costas já doiam de ficar deitado e minha boca clamava por água - sabe né, ressaca é foda. Levantei, tomei coragem, suspirei e fui até a cozinha, o local do crime. só sair do quarto e me deparo com o corpo estendido na frente da geladeira. ainda poderia ser qualquer uma, tava longe e não enchergava direito. Passo a passo fui indo. o corpo cada vez mais perto, a certeza querendo estar errada, mas ela nunca está. cheguei no lado do cadáver. me abaxei. vi os olhos, reconheci. as marcas no corpo, reconheci. o rabo, reconheci. a falta de uma das patas, reconheci. Porra era a Lara, minha lagartixa de estimação. Ela não aparecia aqui em casa há uns três meses e eu não vi quando cheguei e acabei pisando na coitada, eu acho.

e o corpo tá ainda lá, estendindo na frente da geladeira. não tenho coragem de varre-lo e fazer qualquer coisa que seja.

4 comentários:

F. Reoli disse...

In memoriam de Lara, até o mais sórdido pernilongo se rende em voo silencioso.
Sucesso por aqui e na casa nova "Lingua Pop".
Abração, ´tamo junto!

Edgar Steffens disse...

RIP Lara
merda que cerveja acabou... nem consegui ficar bebado!
valeu pela preseça... amsterdan aí vou eu uhaehuaehue

Leandrô/Lemão! disse...

É foda matar lagartixa. Elas sempre fogem. Parabéns pelo seu feito, que além de tudo, estava bêbado.

Juliana disse...

Por essas e outras que não bebo.