30 de jan de 2009

544 ap 12

casa nova
vida nova
porém,
os mesmos vícios

27 de jan de 2009

vazio!?

20 de jan de 2009

a cerveja acabou e nada vai bem #6

cara,

tu poderia aparecer aí
na cadeira da frente
do outro lado da mesa
nem que fosse pra nós ficarmos olhando pro nada

19 de jan de 2009

de mim, as piores lembranças #2

num lado, ficam perguntando se já falei com ela, querendo saber se já me comprometi contigo

no outro, dizem que tenho medo, por que nao assumo o nada e não te dou sentido

e no meio eu
tentando ser o que sou

13 de jan de 2009

a cerveja acabou e nada vai bem #2

eu preciso de uma noite daquelas
de bar em bar
de estrela cadente pra estrela cadente
de sinos da igreja tocando música de terror
d'agente pirando
como se fosse a primeira vez

8 de jan de 2009

quando a canção acaba ela vira música #56

vem cá
vamos tomar uma cerveja
assistir algum filme do bertolucci
fumar alguns baseados
dormir junto

vem
já cansei da minha companhia

3 de jan de 2009

notas de um padrinho bêbado #3

e a minha mãe tava ali dançando
era natal, acho que já era umas três horas da manhã e duas caixas de cereveja.
e ela dançava.
na mão taças, garrafas de cerveja e de champagne passavam e deslisavam de copo em copo
alguns fantasiados, algumas músicas ruins tocando e animando aquela "festa".
e ela dançava.
então chegou um tio meu e dançou com ela
e eles rodopiavam, riam, derrubavam as bebidas dos copos, das mãos e das mesas
e ela dançava.
e eles dançavam.
e aquele irmão dela gordo, escroto, politíco do PP, separado da minha tia que agora mora com uma mulher como nome flor
aquele tio dançava com a minha mãe.
girava ela e ria com ela e abraçava ela e a mão dele deslisava nas costas dela, apertava a bunda dela, entrava no vestido dela, masturbava a minha mãe.
e ela dançava.

e o meu dindo bebe outra cerveja
e tenta falar de literatura comigo.