26 de jul de 2008

b(?) aires

não mudaram

continuam comendo de boca aberta
vangloriando o porre que nao terminou bem
durmindo na rua, em cima do teclado, em qualquer lugar
gritando feito um louco
caminhando sem conhecimento do corpo
batendo nos outros, nao sabendo andar
e se achando generoso
por querer pagar algo que perdeu
e não era seu...........muito menos meu
continuam sendo meus amigos que tentei me afastar
continuam achando que contar histórias
de porres solitários
é atrativos para mulheres
e homens
continuam achando que o bom de viajar
é beber dentro de um albergue
que caminhar pela cidade
é pior que beber a cerveja local
é pior que andar e andar e andar
como seus ídolos realmente faziam.
continuam a não ter opinião
a falar idéias prontas
de quem veneram
mas poucos conhecem
continuam a ser o gênio que não é
mas que pensam que são


nao mudei

ainda quero te beijar

17 de jul de 2008

viajar é preciso

estou indo atrás do on the road pelo plata
quando voltar
não repare na mudança
ela foi boa pra mim
e melhor ainda para nós dois

hasta


"...porque, para mim, pessoas mesmo são os loucos, os que estão loucos para viver, loucos para falar, loucos para serem salvos, que querem tudo ao mesmo tempo agora, aqueles que nunca bocejam e jamais falam chavões, mas queimam, queimam, queimam como fabulosos fogos de artifício explodindo como constelações em cujo centro fervilhante - pop! - pode-se ver um brilho azul e intenso até que todos aaaaaaah!..."

12 de jul de 2008

da sequência crise de criatividade que o interior nos proporciona (ou apenas uma simples revelação)

estranho perceber quando uma amizade termina.
não que seja insuportável a convivência - ainda há conversas - mas

mas aquele cigarro já não tem o mesmo gosto
aquela música já não nos deixa em transe

eles continuam iguais. o problema é teu mesmo

hoje nos tornamos conhecidos
um dia seremos histórias sem nomes